LNT e DNT juntos na sua estratégia de T&D

LNT

Em algum momento você já deve ter ouvido falar de LNT (Levantamento de Necessidades de Treinamento) e DNT (Diagnóstico de Necessidades de Treinamento), principalmente se trabalha na área de Treinamento & Desenvolvimento ou Educação Corporativa.

Basta uma simples pesquisa na internet para verificar a existência de uma divergência muito grande quando se trata destes assuntos. Ao entender exatamente o que são as siglas LNT e DNT, sua origem e no que elas podem contribuir no seu dia a dia é possível compreender a sua importância para trazer eficiência a área de T&D, além de gerar mais confiança na maior parte dos processos de diagnóstico de treinamento dentro da empresa.

Qual a verdadeira origem do LNT?

Você sabia que a necessidade da criação de um diagnóstico de treinamento em empresas surgiu da ISO?

A ISO (International Organization for Standardization) é uma organização não-governamental que surgiu em 1947 em Londres a partir da união de 25 países na tentativa de facilitar a coordenação e unificação internacional dos padrões industriais.

Para que a ISO garanta um padrão em procedimentos operacionais, cada processo industrial possui uma numeração padrão específica, garantindo que seja possível identificar facilmente a normativa de padrões internacionais a que se refere.

E como processos de treinamento também fazem parte de um bom funcionamento industrial, temos a NBR ISO 10015 (Quality management – Guidelines for training), que utiliza a definição de treinamento encontrada na NBR ISO 8402 (Gestão da qualidade e garantia da qualidade).

A partir de sua origem inicial, uma vasta gama de escritores especializados em Treinamento & Desenvolvimento elaboraram alguns conceitos sobre o termo, principalmente nas décadas de 80 e 90.

Apesar disso, ainda há muitas divergências sobre a real origem do termo LNT (ou Levantamento de Necessidade de Treinamento), que nada mais é do que a tentativa de traduzir as complexas normativas ISO para uma realidade mais abrangente, que companhias de outros segmentos, dentro e fora do espectro industrial.

Apesar da ISO contemplar de forma satisfatória os aspectos relacionados a padronização de procedimentos de treinamento industrial, essa realidade se torna pouco aplicável a outros ambientes e cenários.

Visto isso, houve diversas tentativas de conceitualizar o LNT como uma metodologia uniforme, o que não se mostrou uma afirmação verdadeira ao longo dos anos.

Qual o real conceito de LNT?

Como mencionado anteriormente, há uma grande divergência sobre a real aplicabilidade do LNT em ambientes corporativos, incluindo o seu real conceito, que se mostra cada vez menos consensual.

Há teorias de que o LNT se trata de uma ferramenta para levantamento de necessidades do público que necessita ser treinado, ou seja, uma função semelhante ao de um Assessment que efetua o diagnóstico de competências apontando necessidades de desenvolvimento, em escala individual ou grupal.

Outras teorias apontam como um simples formulário para levantamento de necessidades que deve ser utilizado com um gestor (ou área requisitante) para levantamento de informações pertinentes a um diagnóstico que se pretende desenvolver.

Porém, segundo a ISO, o real objetivo de um levantamento de necessidades está em gerar processos e procedimentos que assegurem que os treinamentos obedeçam uma determinada norma, satisfazendo de forma plena as necessidades de treinamento da organização. Segundo a ISO, seis etapas são fundamentais deste processo:

  • 1ª Etapa – Definição das necessidades da organização
  • 2ª Etapa – Definição e análise dos requisitos de competência
  • 3ª Etapa – Análise crítica das competências
  • 4ª Etapa – Definição das lacunas de competência
  • 5ª Etapa – Identificação de soluções para eliminar as lacunas de competência
  • 6ª Etapa – Definição da especificação das necessidades de treinamento

Como se pode observar, esses itens não abrangem todo o espectro de necessidades de um LNT em uma empresa, visto que a cada dia novas metodologias são implantadas, e diferentes modelos de T&D se consolidam no mercado. Nesse cenário, a divergência conceitual sobre o LNT se justifica, pois diferentes ferramentas foram criadas para tentar justificar a conceptualização do termo.

Visto este cenário, é possível concluir que um LNT pode ser qualquer metodologia de levantamento de necessidades de treinamento capaz de diagnosticar de forma adequada as deficiências de treinamento e eficácia dos programas existentes na empresa, fornecendo ferramentas como formulários, fluxos e modelos padronizados.

A complexidade dessas ferramentas pode sofrer grandes variações, amplamente justificadas pela diferença entre as empresas, segmentos e realidades que não necessariamente seguem os modelos tradicionais, aplicados nas décadas anteriores.

Qual a melhor forma de se construir um modelo de LNT?

Como é possível perceber, exceto caso você se enquadre em setor industrial com a necessidade de seguimento da ISO, a forma de se construir um modelo de LNT pode variar substancialmente.

Muitas empresas que desejam gerar ferramentas de LNT para suas necessidades específicas, se reservam a necessidade de contratar consultorias especializadas no assunto, porém é sempre importante entender que a função do LNT é essencialmente medir, ou seja, gerar ferramentas que possam mensurar o levantamento de necessidades em 3 níveis:

  • Nível da Organização: ferramentas práticas que podem medir as necessidades de treinamento em toda a organização. Geralmente diagnostica necessidades formadas por treinamentos corporativos que atinjam a todos.
  • Nível de Recursos Humanos: ferramentas práticas que possam medir as necessidades de desenvolvimento de competências comportamentais que sejam necessárias para que a empresa alcance os resultados esperados (geralmente aplicáveis a treinamentos comportamentais, desenvolvimento de talentos e liderança).
  • Nível das áreas de negócio: ferramentas práticas que consigam auxiliar no levantamento de necessidades específicas das áreas requisitantes de treinamento. As ferramentas práticas geralmente estão ligadas a formulários de LNT para que seja diagnosticada a real necessidade do treinamento (geralmente técnico), aos funcionários daquela determinada área.

E como o LNT se refere essencialmente a criação de ferramentas práticas de levantamento de necessidades de treinamento, a criação de um real diagnóstico se faz possível por meio do DNT (Diagnóstico de Necessidades de Treinamento).

DNT

O que é o DNT

Visto que a função do LNT é gerar ferramentas que propiciem apenas o levantamento das necessidades, o DNT (sigla de Diagnóstico de Necessidades de Treinamento) se faz necessário em caso de diagnósticos, ainda mais em um cenário atual em que as áreas de treinamento cada vez mais deixam de ser áreas meramente ferramentais e passar a ser também áreas estratégicas. Neste caso, o diagnóstico passa a ser não apenas desejável, mas obrigatório.

O DNT é um termo variante do LNT, e propõe não apenas levantar as necessidades, mas também diagnosticá-las estrategicamente. Algumas vezes esse termo pode estar associado erroneamente a DNT (Definição de Necessidades de Treinamento), porém neste caso é associado ao levantamento de necessidades, e não ao diagnóstico em si.

O DNT pode estar aplicado em dois cenários:

  • Cenário 1: Diagnóstico pré-implantação de LNT: é quando se vê a necessidade de diagnosticar a empresa afim de criar ferramentas de LNT. Sem diagnosticar as necessidades iniciais, não seria possível criar as ferramentas de levantamento de necessidades.
  • Cenário 2: Diagnóstico pós-implantação de LNT: após a criação e utilização das ferramentas de LNT, cria-se um diagnóstico estratégico completo que faz uma análise quantitativa e qualitativa para tomada de decisão estratégica. Essa etapa pode ser pontual ou anual. É fundamental quando a área de treinamento deseja se consolidar como uma área estratégica na empresa.

Um parceiro que auxilie nesta implantação  de diagnóstico pode ser fundamental, principalmente no início do processo.

A união faz a força

Como foi possível perceber, o DNT não substitui o LNT, nem o contrário. De qualquer modo, não há razão para não serem utilizados juntos. Portanto, nesse caso, é importante saber potencializar seus resultados, unir os dois métodos pode ser uma estratégia de sucesso, que vai te auxiliar a gerar diferencial competitivo para você, sua área e sua empresa.