O que mudou nos cursos de prateleira e você ainda não percebeu

cursos-de-prateleira

Os cursos de prateleira já foram bastante populares em EAD no Brasil, principalmente na década de 90 e início dos anos 2000. Na ocasião, eles vieram com uma roupagem muito atraente, já que eliminavam a necessidade de esforços de produção de conteúdo internamente e ampliavam o menu de temas que poderiam ser oferecidos pelas empresas aos seus funcionários.

Neste período, a sua ampla exploração juntamente com o vencimento das tecnologias as quais eles haviam sido desenvolvidos, além de alguns outros fatores críticos que falaremos a seguir, tornaram essa modalidade saturada, prejudicando sua reputação inclusive até nos dias de hoje.

Devido a este cenário, as empresas passaram até então a se dedicar, praticamente de forma exclusiva, à produção de conteúdo customizado sob medida; que geram, em teoria, conteúdos mais adaptados às necessidades específicas de cada empresa.

E para nós da área de treinamento, que lidamos com o processo de mudança comportamento das pessoas, é muito mais difícil assumir que desta vez fomos somos nós mesmos que tornamos essa crença enraizada, não é mesmo?

Você já pensou o porquê sequer cogitou a possibilidade de utilizar treinamentos de prateleira em suas ações de treinamento? Então é justamente o que vamos falar aqui, sobre o que pode ter feito você a abandonar esta modalidade, o que mudou nela nos dias de hoje e as vantagens e desvantagens de utilizá-la em suas ações de treinamento.

Mas afinal, o que são cursos de prateleira?

Os cursos de prateleiras são cursos previamente desenvolvidos por fornecedores da área de treinamento e disponibilizados aos seus clientes. Sendo assim, em teoria, a sua área de treinamento não precisaria dedicar tanto tempo e recursos para a criação de material, já que a consultoria já desenvolveu os conteúdos e os cursos sobre o tema. Então você precisa apenas comprar a concessão uso do conteúdo deste fornecedor e disponibilizar em seu LMS.

Um outro fator importante sobre os cursos de prateleira, é que esta modalidade surgiu quase que concomitantemente a própria educação a distância no Brasil, revolucionando as metodologias de educação corporativa existentes na época, e sendo uma promessa de tendência nas décadas seguintes.

 

 Problemáticas do modelo inicial

Alguns fatores foram cruciais para que o modelo inicial de os cursos de prateleira perdessem força nas últimas décadas. A seguir falaremos de alguns deles:

Uso de Flash e outras tecnologias que se tornaram ultrapassadas

Quem viu o início do uso de e-Learning em empresas deve se lembrar das tecnologias que eram utilizadas para o desenvolvimento dos cursos de prateleira.

Abusava-se de páginas HTML com páginas de textões, personagens estáticos e muito, mas muito conteúdo de linguagem técnica. Houve também o uso excessivo de Flash, pois eles permitiam que houvesse algumas telas com movimento para que os alunos não “morressem” de tédio.

O flash foi gradativamente se tornando obsoleto até a sua completa extinção que está programada para 2020, ou seja, até lá acredita-se que a grande maioria dos cursos que ainda estão em circulação neste formato estejam extintos.

Falta de criatividade de estratégia instrucional

O formato dos treinamentos eram quase sempre bem semelhantes a de um powerpoint animado. Desde então, novas técnicas mais criativas estão em circulação e ultrapassaram em muito o que era utilizado na época. A profissão de designer instrucional era praticamente inexistente no Brasil, e os profissionais realmente especializados na área podiam ser contados nos dedos.

Baixa relevância dos temas

Os temas eram definidos por “feeling”, ou seja, o gestor da consultoria não tinha histórico dos temas mais relevantes de EAD (justamente porque esse histórico não existia) e definia os temas. Desta forma, dificilmente conseguiam abordar os assuntos de forma adequada e atendendo as necessidades dos clientes.

Falta de conteúdo especializado

A produção de conteúdos de prateleira era geralmente em massa, o que deixava a qualidade questionável. Eram desenvolvidos por jornalistas, roteiristas de TV, jornal e produtos multimídia, que não conseguiam utilizar as técnicas mais adequadas para EAD.

Quando se contratava conteudistas especializados no assunto, eles geralmente eram da área acadêmica e não faziam ideia de como era a didática de EAD, então a chance era grande de os conteúdos serem densos e o formato do curso não se encaixar muito bem aos conceitos corretos de Educação a Distância.

Falta de consolidação do padrão SCORM

O padrão SCORM era quase que desconhecido, e os poucos que utilizavam, apesar de seguir os parâmetros corretos, dificilmente conseguiam desenvolver cursos compatíveis com a maior parte dos LMS’s em SCORM que estavam disponíveis no mercado.

A impossibilidade de criar treinamentos em SCORM fez com que a maior parte destes treinamentos ficassem obsoletos, pois não podiam ser migrados para outras plataformas.

Impossibilidade do uso de vídeos

Nas décadas passadas a internet banda larga e as tecnologias, 3G, 4G e 5G eram inexistentes ou embrionárias. Desta forma, utilizar vídeos em seus e-Learnings era quase impossível, pois ocupavam grande largura de banda, além de que os CODECs eram muito pesados e a transmissão de vídeos era muito dificultosa.

Baixa possibilidade de customização

A dificuldade de customização advinha da necessidade de uma equipe muito grande para produção ou customização de um curso a distância. A execução era muito mais complexa mesmo para uma simples animação, exercício ou recurso interativo.

cursos-de-prateleira

Vantagens de uso dos cursos de prateleira

Mesmo após todas as dificuldades que mencionamos acima, que foram enfrentadas nas últimas décadas, devemos lembrar que os cursos de prateleira possuem diversas vantagens, inerentes a suas dificuldades do passado:

Investimento menor que de um curso sob medida

Como o desenvolvimento do curso já foi um investimento do fornecedor, o valor gasto por você geralmente é muito menor do que seria se você desenvolvesse um curso sob medida do zero.

Menor tempo de implantação

Como o curso já está pronto, isso significa que o prazo de implantação é quase que imediato. Geralmente apenas será necessário incluir seu logotipo, verificar eventuais ajustes de configuração do LMS, e o curso já poderá fazer parte do portfólio a ser oferecido da área de treinamento aos alunos.

Possibilidade de fácil customização

Hoje em dia a customização de um curso sob medida é infinitamente menor do que de há alguns anos atrás.

Desta forma, se por algum motivo for necessário fazer algum ajuste de conteúdo para que se adeque as necessidades da empresa, essa customização será de provavelmente de baixo custo e com prazo consideravelmente mais curto que os cursos de prateleira do passado.

Possibilidade de aumento de portfólio interno

Ao oferecer os cursos de prateleira como parte complementar aos cursos que você já disponibiliza aos funcionários, você estará complementando a gama de conteúdo ser disponibilizado internamente.

Desta forma estará preparando seus funcionários para mais possibilidades do que se restringisse apenas aos cursos atuais.

Integrações com Trilhas de Aprendizagem e Blended-Learning

Ao acrescentar os temas dos cursos de prateleira ao que você já oferece em suas trilhas de aprendizagem e soluções Blended-Learning, você irá torna-las mais robustas, completas e competitivas com que está disponível no mercado.

Conteúdo não exclusivo

A falta de exclusividade muitas vezes é encarada como um fator negativo quando se deseja adquirir cursos de prateleira.

Porém é importante destacar que quando um determinado conteúdo é criado para diferentes realidades, geralmente este mesmo conteúdo tem maior chances de preparar um profissional para diversos cenário e ambientes, tornando-o mais competitivo internamente e mais capaz de lidar com situações diversas.

O cenário atual e o Preconceito

Visto as vantagens apresentadas, é natural que se volte a atenção para este tipo de treinamento. E engana-se quem acredita que os cursos de prateleira disponíveis hoje no mercado são todos no modelo antigo.

Muitas consultorias de treinamento entendem as vantagens dessa modalidade e se esforçam cada vez mais para acompanhar as novas tendências e oferecer bons conteúdos.

Uma prática muito interessante que pode ser usada por você é se fazer algumas perguntas importantes antes de contratar um curso de prateleira:

  • Eu já ofereço esse curso internamente? Se não, cogite a possibilidade de oferecer um curso desses até que você tenha condições de oferecer algo melhor futuramente, se este for o caso.
  • Esse tema é tão importante assim que precisa ser customizado? Se não, cogite implantar como está ou em certos casos fazer customizações específicas. Acredite, pequenas customizações podem gerar excelentes resultados.
  • Disponibilizar uma gama maior de temas no meu LMS vai fazer a imagem da área de treinamento ir para outro patamar? Geralmente sim. As pessoas gostam de ter acesso a grandes possibilidades de desenvolvimento.

E ao selecionar bons fornecedores de cursos de prateleira, verifique se eles exploram os vídeos. Vídeos geralmente geram maior resultado, engajamento e dinamicidade. Aproveite-se dessa possibilidade que hoje a tecnologia nos proporciona. A união de vídeos e cursos de prateleira pode ser uma excelente oportunidade.

E se mesmo assim ainda ficou com dúvidas, tenha atenção se o preconceito pode estar te limitando a gerar resultados incríveis. Basta você analisar seu cenário, buscar o parceiro certo e colocar na balança, a probabilidade de resultados incríveis pode estar na sua frente.